Ano em Que Virou ‘Furacão da CPI’: Denise Rocha Faz Balanço de 2012


Denise-Rocha
Foto: Marcos Serra Lima / EGO

O ano de 2012 ficará para sempre marcado como o ano em que Denise Rocha Leitão passou a responder também pelo apelido de “Furacão da CPI”. Não por acaso. A advogada e então assessora parlamentar foi exonerada do cargo e viu sua vida se transformar em uma verdadeira novela após ter um vídeo íntimo divulgado na internet. Com a ajuda de remédios para dormir – que ela garante não tomar mais -, Denise aceitou o convite para posar nua e decidiu entrar no “meio artístico”, como ela mesma costuma dizer. Hoje em dia, “paga suas contas” com presenças vip, cobrando R$ 5 mil de cachê.

“Foi um ano muito difícil, mas, graças a Deus, consegui reverter tudo para o lado positivo. Nunca quis ser famosa. Só comecei a pensar nisso quando fiquei desempregada e recebi o convite da ‘Playboy’. Não trabalho mais como advogada, mas faço um trabalho digno como qualquer outro. Muitas pessoas ficam deslumbradas com o meio artístico, mas isso não aconteceu comigo. Mais para frente, você pode conversar comigo novamente e perceber que meus pés continuam no chão”, disse Denise, que garante não ter desfrutado ainda do cachê que ganhou pelo ensaio nu.

Denise Rocha posa em clima de réveillon
(Foto: Marcos Serra Lima / EGO)
“As coisas na minha vida são muito bem pensadas, até pela minha criação. Não sou dessas doidas que recebem o dinheiro e saem gastando. Tenho uma família para ajudar”.
Sem entrar em maiores detalhes, ela contou que está tentando resolver a “parte jurídica” do episódio do vazamento do vídeo até hoje. “Eu não tenho Mal de Alzheimer, não. Mas acho que só tenho que dar satisfação para as pessoas da minha família, meus amigos mais próximos, que realmente se importam comigo. Ninguém vai ver a Denise falando disso mais, não sou besta. Nem de política falo mais”, decretou.
No entanto, confirmando o ditado “sorte do jogo, azar no amor”, Denise teve que pagar um preço alto pela fama. Em novembro, ela terminou o noivado com o empresário Bernardo Pietro, com quem namorava há um ano e meio. Culpa da agenda. “O ritmo está bem puxado. É muito difícil conciliar um namoro com esse tipo de trabalho. Nós não brigamos, terminamos bem, conversamos até hoje. Estou solteira, tranquila e focada no trabalho”, disse Denise, que pretender passar o réveillon de vermelho, mas garante que um namorado não está entre seus pedidos para 2013.

Denise conta que passará a virada do ano de
vermelho, mas que não pensa em namorar: “Estou
focada no trabalho” (Foto: Marcos Serra Lima/ EGO)
“Não sou uma pessoa carente, que fica dizendo que precisa de um namorado. Sou muito prática e, às vezes, os homens confundem minha praticidade, porque não tenho paciência para ficar discutindo a relação. Eles estão acostumados com mulher que fica babando. Eu não nasci para ficar babando homem. Quem me conhece diz que eu pareço um menino, sou muito independente. Já cansei de escutar que eu sou uma pessoa esquisita e fria”, contou.

Créditos: EGO

About

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *